Como Navegar na Net com um Objectivo

Toda gente tem a sua maneira favorita de usar a Internet. Quer seja num computador, num smartphone ou através de uma consola, no entanto acaba por ser um circulo continuo e repetitivo de ir a um site específico, ler o que está disponível e clicar para sair. Isso não é necessariamente uma coisa má, porque no fundo é eficiente. Se queres receitas de culinária vais ao teu site favorito, se queres jogar com os teus amigos arrancas o steam, aprendemos a ajustar as nossas capacidades e vamos direto para o que é essencial.

Desta forma orientada para um objeto, tende a tornar o acto de navegar na net num de simplesmente obter resultados a curto prazo, o que trás satisfação mas reduz eventualmente as tuas escolhas e conhecimento, vês a noticia mas não sabes o porquê! Claro a repetição cria um hábito inconsciente, tal como ir ao teu restaurante favorito, cria-se a familiaridade e um ciclo que por vezes é dificil de quebrar e que tantas vezes torna-nos aborrecido ou deprimidos com a internet, como se não existisse nada para fazer, em vez de navegar estamos á deriva.

Então onde é que esse fenómeno natural encaixa com os objectivos de alguém que quer ser bem sucedido ou que quer gerir um negocio na Internet?

Bem a base para qualquer negocio é maximizar os lucros e ampliar a esfera de influencia, isso pode ser conseguido através de diversas formas, tanto do lado externo com adquirir tráfego mais interessado nos teus produtos como no lado interno com optimizar conteúdos e paginas para o que os clientes esperam ou desejam, claro com o objectivo de angariar mais clientes/membros/visitantes e fazer mais vendas.

Mas para se conseguir atingir esse objectivo é necessário melhorias incrementais e estratégias diárias, não só um padrão repetitivo, mas saber quando quebrar e experimentar coisas novas, então vêm a questão… Como é possível melhorar consistentemente e incrementalmente desviando de tempos em tempos dos métodos e técnicas que já usamos?

Uma forma é ter olho para a oportunidade, isto é navegar na internet com uma maior consciência, vendo esta pelos olhos da empresa e pelos olhos dos clientes e ativamente ver como outras paginas e negócios podem criar oportunidades, tanto directamente como aliados ou concorrentes ou simplesmente como inspiração ou ideias que podem ser aproveitadas e re-utilizadas pelo teu negocio.

Para isso existem diversas boas ferramentas na internet! Eu vou explicar as que uso, mas como tudo na vida, experimenta e escolhe o que te serve melhor, para algumas coisas e pessoas papel e caneta ainda é a melhor forma de anotar ideias, estas ferramentas são as que eu utilizo para organizar o que vejo para ler mais tarde ou para me inspirar ou dar novas ideias de negocio, marketing, etc

Pocket-Logo
Pocket

Esta web-app basicamente cria copias do conteudo de paginas, com o uso de um bookmark (ou em alternativa podes usar os diversos plugins do pocket) com um só click posso gravar o conteúdo de uma pagina para o pocket, onde posso ler mais tarde com a minha conveniência tanto no site deles como no desktop ou no smartphone. Eu uso para guardar artigos, paginas interessantes ou conteúdos para eu rever mais tarde, normalmente quando acabo de ler decido se é interessante ou posso precisar das referencias eu arquivo, se não acabo por apagar.

Asana-Logo
Asana

O Asana é outra web-app para gerir listas de coisas a fazer (todo lists), eu adoro, porque é simples rápida e estável ao contrario da wunderlist que eu usei durante uns tempos. Que eu utilizo para gerir projectos ou planear projectos, normalmente quando tenho uma ideia eu ponho no simplenote, mas quando quer delinear o que quero e vou fazer eu abro o Asana.

Simplenote-Logo
SimpleNote

É um editor de texto simples com sincronização (para smartphones também), eu gosto porque é simples e prático, cada vez que tenho pedaços de texto ou ideias ou pequenas ações que quero fazer ou pequenos pedaços de código que acho interessante eu atiro tudo para dentro do simplenote.

Firefox-Logo
Firefox + Plugin Scrapbook

Eu acho que o Direfox ainda precisa de um pouco de pés para ser o meu browser favorito (o chromium é infelizmente um browser superior em velocidade e segurança, no entanto eu tenho sempre ambos abertos), mas para plugins nada bate o firefox, e o plugin Scrapbook é fantástico, basicamente ele copia páginas e arquiva, o que é ideal para guardar páginas, gráficos, etc, claro que existem mil e uma formas de fazer isso, mas eu gosto da simplicidade de arquivar uma pagina, o que me dá jeito quando quero ver código mais tarde ou simplesmente para relembrar designs e ideias interessantes (o meu scrapbook começou em 2005 e tem mais de 2000 páginas).

.Txt Documento de Texto
Bem são 2 ficheiros, um de tralha e um de coisas a fazer, esses ficheiros são sempre sincronizados entre todos os computadores e são o que chamaria de post-its, são para adicionar ideias ou coisas para fazer agora ou para pensar e anotar mais tarde, tendem ao contrario do simplenote a ser apagados com frequência (isto é eu abro uma nova nota no simplenote, copio tudo e começo de novo), fazem o mesmo papel que… bem… papel!

Nota: Á quem utilize o Evernote, que substitui tudo menos o firefox+scrapbook, mas eu não gosto do interface deles, é lento e já me perdeu alguns documentos o que para mim matou o serviço.

Com estas ferramentas consegues criar um deposito de informação que te vai ajudar a tomar melhor decisões e a ser mais criativo, se tens gravadas páginas de vendas de competidores, podes comparar e ver as melhores ideias, mesma coisa com publicidade que banners são mais apelativos ou tem mensagens mais interessantes, que forma é que usam para comunicar com os clientes ou quais as estratégias utilizadas.

A ideia que quero que retenham é que é importante ter um sistema enquanto se navega pela net, algo que possam utilizar naturalmente para guardar os pedaços da net que tenham valor para o que fazem, mesmo não tendo um negocio mas gostam de cozinhar, ter o Pocket vai ajudar a guardares todas as tuas receitas favoritas no mesmo sitio, e ter essas facilidades vão sempre ajudar a seres mais consciente e a navegar na internet com um melhor objectivo!

10 Dicas Rápidas para um Pequeno Negócio

Se trabalhas sozinho, ou numa empresa com 5, 10 ou 100 empregados, o truque é optimizar e capitalizar em oportunidades. Nenhuma empresa deve ser uma estrutura estática, deve ser flexível e com isso podes fazer um melhor uso dos seus recursos, com esta ideias aqui vão 10 dicas rápidas para concentrar um pequeno negócio:

  1. Mantém Contas em Dia : Muitas empresas, especialmente pequenas tem pouca ideia dos seus números diários, semanais e mensais e como tal vão gastar demasiado tempo para encontrar falhas ou modificar coisas que não estão a funcionar corretamente.
  2. Define Metas : Uma das coisas mais importantes é criar objetivos, que acabam por acarretar metas de sucesso, tanto do que se quer fazer, como o que se fez anteriormente.
  3. Marketing com pouco Orçamento : É fácil gastar dinheiro em marketing, mas dinheiro não é indicação de sucesso, começa por usar marketing com o mínimo orçamento possível e melhora a partir dai.
  4. Aprende a Apresentar o teu Negocio : Não só uma poderosa apresentação pode fazer a diferença entre ter um novo cliente ou não, mas quanto melhor for a tua ideia do negocio, melhor será a tua visão do futuro do negócio.
  5. Acompanha Tendências : Toma atenção ás mudanças de cenários globais, porque muitas industrias e mudanças em vários negócios ou economias pode ter um impacto no teu negócio, isto é uma ameaça mas também uma oportunidade.
  6. Vendas Astutas : As vendas são a base de quase qualquer negócio, mantém-te em cima e gere a tua equipa de vendas, quanto melhor equipadas e treinadas melhor as hipóteses do teu negocio.
  7. Encontra as Técnicas Básicas : Cada sector, mercado, negocio tende a ter as suas praticas e técnicas que foram adquiridas ao longo dos tempos e logo testadas e optimizadas, fazer uso dessas técnicas corta tempo e assegura pelo menos a paridade com concorrentes.
  8. Motiva os Funcionários : Não é só adquirir bons funcionários e talento, é manténs estes motivados de forma a manter mas sempre tender para elevar os níveis de desempenho.
  9. Conhece os teus Limites : Toda a gente e coisas tem limites e como tal é importante saber as tuas limitações e as do teu negocio, assim podes sempre fazer uso de outros conhecimentos e recursos para te encontrar formas de superar essas fraquezas.
  10. Usa o Teu Tempo Livre : Tudo tem limites e mesmo adorando um negocio é importante tirar uns tempos e separar do negocio isso não só ajuda a recarregar as baterias mas também a criar outras ideias e perspetivas que não terias se tiveres todos os dias a trabalhar.

Empreendedorismo em Portugal

Parece-me bem que o atual governo de Portugal queira fomentar novas empresas e empreendedorismo em Portugal o tal “memorando do crescimento”, vem um pouco tarde, mas mais vale tarde que nunca, crescimento é a única maneira de sair de uma crise, apenas peca por serem as mesmas ideias inaptas de sempre, acham que criando programas e descontos se chega lá, programas estes que envolvem sempre mais burocracia e que só mesmo empresas com muito capital e pessoal conseguem aproveitar (ou já nos esquecemos como o QREN é só para alguns), no fundo muitas ideias atiradas ao ar quando o problema é óbvio e a frente do nariz de toda a gente, então vejamos.

Diz-se que os portugueses são pouco empreendedores, que precisamos de mais investimento estrangeiro, que os bancos não emprestam e que precisamos de um banco de fomento (então a Caixa Geral de Depósitos pelos vistos não serve para nada) e mais uma serie de medidas originais ou não, mas sempre vagas em implementação e ainda mais vagas em resultados e perspetivas,  enfim mais um exercício de “wishful thinking”, de criar ideias em que se espera e deseja que possa ter bons resultados, pois muito bem, então que tal um pouco de faz de conta?

Vejamos um novo empreendedor a criar um novo negocio em Portugal!

Vamos tornar isso ainda mais simples e imaginar que este empreendedor já tem clientes suficientes para garantir 5.000 euros por mês de faturação! (otimista e coisa complicada hoje em dia para um novo negócio), vamos ainda simplificar mais e retirar todos os custos fixos (coisas como renda, eletricidade, comunicação, carro, agua, banco/empréstimo, computadores, custo de criar a empresa, etc) ou toda a burocracia que se tem de lidar hoje em dia em Portugal, que sim esta também é um custo! (declarar mensalmente o IVA, marcação dos pontos, pagar seguranças sociais, todas as taxas, todas as multas, etc), ou todos os custos com clientes (custo de aquisição, marketing, etc), e focar puramente  nos impostos em geral para ver a tal viabilidade deste negocio para o empreendedor!

Esta nova empresa vai ter o empreendedor/dono/gerente a receber um salário de 600€ (bruto tem de pagar depois segurança social + IRS), mais 1 empregado a receber salário mínimo 485€ (só paga a segurança social) :

  • Faturação = +5000€/mês
  • Salários (brutos por mês) = -1085€/mês (14 meses)
  • Contabilidade (obrigatória por lei, e por tabela, isto e o mínimo) = -100€/mês
  • Seguro de Acidentes Trabalho (obrigatória por lei, 2 pessoas) = -15€/mês
  • Medicina no Trabalho (obrigatória por lei) = -100€/mês
  • Sistema de Contabilidade Certificado (vamos escolher um gratuito, provavelmente não ia dar mas vamos fingir) = -0€
  • IVA (23%) = -1150€/mês
  • Pagamento Especial por Conta (1% da faturação, mínimo 1000€) = -1000€/ano
  • TSU da Empresa (23,75%) = -258€/mês
  • TSU do Empreendedor (23,53%) = -141€/mês
  • Sobretaxa IRS do Empreendedor (2.35%) = -197€/ano
  • IRS do Empreendedor (7000*14.5%+1400*28.50%) = -1414€/an0
  • IRC (26.5%) = -6311€
  • Lucro da Empresa = 17507€
  • Dividendos (25%) = -4377€
  • Total Liquido que o Empreendedor vai receber num ano! = 4815€ (Salario Liquido Anual) + 13130€ (Dividendos) = 17945€

Resumindo depois de faturar 60.000€, o empreendedor recebe 17.945€ (30%) pelo seu trabalho, e relembro que eu só calculei os impostos, se incluir todos os outros gastos, chegamos todos as mesmas conclusões sobre a viabilidade deste negocio de 60 mil euros, o Estado praticamente retirou 70% deste negocio em impostos diretos e indiretos!!!!!!!!!! por esta altura já questionamos a racionalidade de qualquer empreendedor que queira fazer um negocio em Portugal.

Então, se calhar o problema do Empreendedorismo em Portugal, não é dos Empreendedores mas sim do Estado, dos seus impostos e burocracias , como é possível criar uma empresa quando se passa mais tempo a lidar com o Estado que com os clientes da empresa? Como é possível criar um Plano de Negocio para viabilizar um projeto quando o Estado continuamente muda as regras do jogo, mudando taxas, multas, criando “inovações” fiscais? Como é possível criar um novo negocio quando o Estado retira toda a criação de riqueza? Como é possível ser-se Empreendedor com este Estado e neste estado?

Então e não existe solução? Ah esta existe e é de certa forma simples, olhem para o que se faz lá fora, menos impostos em valor e quantidade e menos burocracia, simplifiquem o fisco, não e preciso faturas para um café, não e preciso apresentar o IVA todos os meses se és uma empresa pequena, multas por pagar a segurança social 1 dia atrasado quando se atrasares 6 meses podes negociar pagar em prestações sem juros e multas, tratem as empresas com respeito, como parceiros e não como futuros incumpridores.

O Estado ganha com empresas grandes não com pequenas, pequenas devem ser vistas como uma forma de empregar pessoas e de possivelmente virem a ser grandes no futuro, o Estado ganha de qualquer maneira, queremos estabilidade legislativa, parem de mexer no código do trabalho, não precisamos de uma reforma do IRC, nem importa os impostos serem altos desde que seja só 1 imposto e não 4 ou 5, os Empreendedores Portugueses não precisam do apoio do Estado, nem precisam do apoio da Banca, precisam é que o Estado tire a mão de cima da economia, que na sua ânsia de legislar, controlar e fiscalizar arrisca-se a perder tudo.

Nota: Aposto que com todo o meu cuidado ainda me esqueci de uma ou outra taxa (subsidio de alimentação e tal) e aposto que os meus cálculos podem não estar inteiramente corretos (muitos dos cálculos contabilísticos podem reduzir certos impostos, posso ter usado taxas erradas ou desatualizadas, podem existir mais deduções, podia aumentar mais o salário do empreendedor por conta dos dividendos, etc), mas isto só mostra a complexidade absurda do sistema fiscal português como também o meu ponto de vista de que este chegou a um limite insustentável que só prejudica as empresas existentes e mais do que isso a criação de novas empresas.

2013 o Ano da Burocracia em Portugal

Primeiro gostava de apontar, que eu queria evitar e vou tentar evitar comentários políticos no Empregado, não porque política não esteja intimamente ligada á economia e criar novos negócios, mas porque o objetivo deste site é ajudar quem quiser criar um negócio e não criticar o ambiente económica e as políticas correntes em Portugal, agora com esta nota fora do caminho, queria falar um pouco de burocracia em Portugal.

Portugal sempre teve um grave problema com burocracia, não é novidade, basta ir a qualquer Repartição das Finanças, Conservatória ou Câmara Municipal, nada se resolve á primeira, tens sempre de preencher mil e uma coisas e pagar taxas por tudo, aliás muitas vezes nada se resolve, mas a minha critica e a força motriz para eu criar este artigo é o actual Governo Português de Passos Coelho (mas sem deixar de notar que este só re-diz o mesmo que governos anteriores de PS e PSD e PP diziam antes), que a culpa nunca é do Governo, a culpa é da conjuntura económica, a culpa é da crise, a culpa é de quem foge aos impostos,que os “portugueses estiveram a viver acima das suas possibilidades” (como se as minha dividas pessoais tem de ser pagas pelo Passos Coelho, mas um Submarino mal comprado agora é minha culpa!), logo a culpa morre solteira.

Mas quando vejo os comentários deste Governo, em particular do Primeiro Ministro Passos Coelho, o Ministro do Estado e Negócios Estrangeiros Paulo Portas, o Ministro da Economia Álvaro Santos Pereira e o Ministro das Finanças Vítor Gaspar, todos a dizerem o mesmo que outros antes deles disseram que Portugal “precisa de crescer”, “que temos de cortar eventualmente impostos”, “que temos demasiada burocracia”, “que o pais não é amigo das empresas”, “queremos ser dos melhores paises para negocios”, etc etc, é o pão nosso de cada dia da Política portuguesa, diz-se o óbvio mas depois não só não se resolve nada (o sistema “Simplex” do Governo do Sócrates, não resolveu nenhum problema burocrático, o que fez foi empurrar a mesma burocracia para a Internet ou criar processos em cima dessa burocracia para saltar partes, isso não retira burocracia, isso só aumenta burocracia! veja-se a empresa na hora!), como pior! neste caso fazem exatamente o contrário do que dizem!

O ano de 2013 é um ano problemático para todos os portugueses, mas se tu tiveres uma empresa ou quiseres criar uma empresa é ainda mais problemático, ao ponto de travar qualquer investimento sério, 80% das empresas portuguesas trabalham para o mercado interno, logo com a situação atual de uma economia em declínio que já entrou numa espiral recessiva (3 anos, um pior que outro sem um vislumbre de qualquer retoma, a meu ver é uma espiral recessiva, quaisquer que sejam os comentários em contrário do Governo), qualquer empresa tem o seu trabalho contado para poder criar alguma coisa com um mercado em queda livre.

O meu problema é que em 2013 foram acrescentadas ainda mais burocracias ás empresas, a obrigatoriedade de marcar o ponto, a obrigatoriedade de lançamento de faturas mensais, novo software e maquinas de faturação, a mudança para duodecimos, e a lista continua, tudo novidades, sem entrar em detalhes em como algumas destas decisões são boas ou más (talvez para um outro artigo), o meu problema é que o governo fala em ser mais eficiente e trabalhar mais, mas tal é ridiculo quando continuam a inventar, sim INVENTAR! novas burocracias! tudo tem custo para empresas e cidadões se não é em dinheiro é em tempo, e depois fala-se em melhorar a eficiência nós não precisamos de cortes de impostos, não interessa o nível de impostos quando ninguém tem dinheiro para os pagar, precisamos é de um corte drástico, brutal, a toda a linha na burocracia, não estou a falar limar arestas, estou a falar de acabar completamente com uma montanha enorme de idiotices.

Chegamos ao ponto que todas as empresas em Portugal passam mais tempo ou tem de ter empregados dedicados só a seguir a toda a burocracia, em vez de produzirem, inovarem ou promoverem, não, estão a confirmar faturas, a picar o ponto, pagar segurança social, a licença para isto o papel para aquilo ou só a pagar coimas por terem esquecido ou feito algo fora do tempo, nas finanças ou na segurança social ou nas câmaras municipais em algum sitio de certeza que esqueceram de algo, já agora 1 dia atrasado a pagar segurança social são quase uns 200 euros (eu vi a conta)! Nada como castigar quem quer pagar, e quem vai á Segurança Social renegociar porque não paga ah meses, pode pagar em prestações suaves sem juros.

Todos os benefícios, ajudas, bonificações (que já são poucas) para criar novas empresas ou empresas atuais entram nessa tempestade burocrática, a maioria das vezes é preferível negociar com um banco os juros de um empréstimo que usar a Linha de Crédito do IAPMEI que está cheia de de burocracias agarradas, sim porque burocracia tem um custo! Não são projetos Inova, Impulso Jovem ou Estimulo 2012 que vão resolver problemas, é como deitar mais areia nas fundações de um edificio, fica bem e dá aquele impulso/estimulo mas só porque mais dinheiro entra no sistema, mais empresas ou mais emprego não resolve o problema, apenas adia.

Infelizmente Portugal no ano de 2013 entrou numa ditadura do fisco, onde tanto cidadãos como empresas têm de conviver com a hyper-burocratização da economia, e o que é que Portugal ganhou com isso? Pouco ou nada, quem estava nas economias paralelas vai continuar a estar, quem estava nas áreas mais cinzentas tem ainda mais motivação e razão para fugir e quem sempre cumpriu e trabalhou para a sua empresa e o seu País é castigado, mesmo que o se paga em coimas, tempo e burocracias poupa-se em impostos! Chegamos a um ponto em que começo a pensar que não vale a pena abrir uma empresa em Portugal, quanto mais e melhor trabalhares maior é mula que tens de carregar!

Então estes são os meus conselhos para os caros concidadãos, empresas e empregados, que devem começar a pensar em alternativas, não estou a falar em “fugir do pais” mas que existem sempre alternativas, talvez despedir aquele empregado pode ter custos agora mas pode valer a pena para o futuro, ou reestruturar o negócio para áreas menos burocráticas, ver se podem fazer uso de estarmos na união europeia e usar serviços fora de Portugal que sejam mais baratos ou eficientes, que devem pensar bem antes de gastar dinheiro, que devem questionar quando uma lei ou uma autoridade se sobrepõem ás suas competências, que estamos numa altura para ser inteligente e flexível, porque também períodos de crise são períodos de oportunidade.

Para os governantes de Portugal, digo que devem repensar o que dizem e o que fazem, que cada vez mais pessoas em Portugal estão conscientes para a vossa clara falta de competência (para não falar em corrupção, peculato, ignorância, etc) para gerir uma economia, o mais cedo possível devem literalmente voltar atrás ás suas leis, apagar elas como se não tivesses existido cortar os códigos em metade, simplificar é a palavra de ordem, especialmente nas que envolvam burocracia na economia, na fiscalidade e na justiça não se esqueçam que quanto mais simplificarem e retirarem burocracia menos gente é precisa, mais flexível e menos pesado fica o Governo, quanto mais simples forem as leis mais facilmente toda a gente cumpre com as nossas obrigações e por fim sentirmos que estamos a cooperar com o Governo e não a sermos perseguidos e investigados pelo nosso próprio Governo se estão tão á rasca de dinheiro, que tal fazerem como qualquer empresa e ir atrás dos maiores devedores e criminosos, como os que criaram os BPN’s, Submarinos, PPP’s etc que gastarem tempo a ir atrás dos 10 cêntimos de IVA do meu café!

E só para justificar a minha opinião:

Em 2012 Portugal acaba de alcançar o primeiro lugar no ranking da burocracia fiscal da zona Euro, com as empresas a precisarem de 275 horas (= 34 dias de trabalho) para arrumar os seus impostos, segundo o estudo “Paying Taxes 2013” do Banco Mundial, IFC e a consultora PwC.

Relatório de Competitividade Global para 2012/2013 – Portugal está no 49º lugar (de 134 países) e temos caído todos os anos, atualmente atrás de países que tem largos problemas de corrupção e burocracia como o Brasil, as principais queixas dos gestores portugueses são a ineficiência e a burocracia das instituições públicas (20,6 por cento das respostas), a rigidez da legislação laboral (19,2 por cento), a instabilidade das políticas seguidas (13,5 por cento) e a carga fiscal (10,3 por cento).

O Execução do Quadro Referência Estratégico Nacional em 2011 foi de 40% e em 2012 foi de 60% (o QREN é o equivalente aos fundos estruturais, dinheiro que a União Europeia deu ao Governo Português para investir, o que quer dizer que em 2011 e 2012 ficou muito dinheiro por gastar que claro retorna para a União Europeia), este enorme desperdício continua porque o QREN era e em certa medida continua a ser um produto altamente burocrático.

5 Erros Comuns de Marketing

Aqui vão algumas dicas rápidas sobre erros de marketing:

  1. Decidir Rapidamente Pode Correr Mal – Vivemos numa altura em que é esperado que os líder de empresas que façam decisões imediatas e inteligentes, que não se não agirem, perdem a oportunidade, humm talvez, todas as decisões devem ser baseadas em factos e informação inteligente, feito de outras forma pode dar erro, lançar produtos fora de tempo, mudar preços numa má altura, nem sempre decidir rapidamente tem bons resultados.
  2. Vamos Crescer para Sempre – Qualquer negocio ou produto tem ciclos e não se pode esperar que cresça para sempre, o mesmo acontece com as diversas fonte de promoção que existem hoje em dia, tanto na internet como nas formas de publicidade mais tradicionais, nem sempre vai ser possível estar no topo, logo é importante ter uma visão global e a longo curso da empresa e produtos de forma a saber quando é necessário renovar, modificar ou abandonar um projecto.
  3. A Gestão Sabe Tudo – Uhhh errado! Mesmo com gestores brilhantes, quem sabe melhor o que se passa na empresa e possivelmente nos mercados são os empregados mais baixos, são eles que andam pela empresa, são eles que comunicam com os clientes e fornecedores, fazer decisões de marketing sem ter esse conhecimento é arriscado, dai ser sempre importante ter um contacto saudável e permanente com todos os níveis da organização.
  4. Quanto Mais Melhor – Nem sempre, por vezes criar mais, oferecer mais não traduz num produto produto melhor ou maior satisfação pelo cliente, manter o foco sempre no que o cliente deseja, na qualidade e nos pontos fortes do produto e não tanto na quantidade ou nos extras todos que podem ser adicionados, isso e que cria a diferenciação da empresa e do produto.
  5. Esperar para Ver – Hehehe, nem todos os produtos e mercados são mutáveis, alias a maioria não é, a maioria de mercados são razoavelmente estáveis e a única forma de prevalecer é com paciência e com um trabalho constante de promover, criar melhorias,aos poucos ir tomando uma maior quota do mercado de certa maneira traduzindo em pequenas mudanças incrementais que só são possíveis construindo sobre o que se foi criando.

Então o que é que acharam destas dicas de marketing?

Como Superar a Dificuldade para Começar!

Eu diria que a maioria das pessoas ficam presas quando chega a altura de passar para a próxima fase, de trabalhar no seu próprio negocio, o que é natural porque a a maioria das pessoas não seguem esse caminho, criar o seu negocio é um projeto difícil e cheio de armadilhas tanto no ambiente como pessoais, uma coisa que é preciso descobrir é se estás a correr para uma direcção que queres ou se estás a fugir de alguma coisa, tal como pensar que tendo um negocio, resolve-se os problemas na sua vida, algumas das desculpas que vão aparecer são:

  • Eu não tenho experiência suficiente para fazer isso
  • Eu não tenho dinheiro para isto
  • Não vai funcionar
  • Não sei falar com pessoas
  • O mercado está demasiado difícil para entrar
  • Vai demorar demasiado a ter lucro e eu preciso de pagar as minhas contas agora!

O truque, na medida em que existe um, é um pouco como crias qualquer coisa! Tens de gostar do que fazes, tens de de gastar tempo para trabalhar no que gostas, não pode ser opcional, é o que deves querer fazer porque sim! Pensar em boas ideias é uma boa coisa mas executar é que é o mais importante, só criando e experimentando é que podes saber!

Algo como criar metas, registar a companhia ate ao fim do mês, tornar rentável em 3 meses, impor resultados, especialmente auto-impostos é uma forma fantástica de motivação, especialmente com coisas novas existe maior risco e um medo do desconhecido, mas isso e perfeitamente normal, dai teres metas, objetivos e o desejo para superar esse sentimento e enfrentar o desconhecido armado com conhecimento e paixão.

E aí é que está a chave! pode ser óbvio, mas paixão, verdadeira paixão por o que se faz é a única forma de conseguires trabalhar quando estás cansado, de teres capacidade de persistir e de enfrentares o desafio com gosto e entusiasmo, estás a criar um negocio porque queres e porque é o que gostas de fazer.

Então que outras formas é que são boas para superar as dificuldades em começar novos projetos?