Apelar ao medo é uma técnica utilizada frequentemente em política social e marketing, a intenção é criar suporte a uma ideia através de deceção e propaganda, de forma a criar medo e preconceito em direção a uma coisa ou pessoa. O argumento que sustenta esta premissa tende a ser falso, isto é usa-se falácias para apelar mais á emoção que á lógica, visto que medo é um instinto básico que tende a criar sempre o mesmo género de resposta.

Também advém disso a sigla FUD (Fear, Uncertainty and Doubt = Medo, Incerteza e Duvida), o que normalmente significa alguém espalhar informação negativa (e tendencialmente vaga) sobre alguma coisa, está implícito na sigla que existe uma forma de coerção através de desinformação, o que empurra pessoas a fazerem escolhas emocionais. A origem do nome vêm da industria de material informático, mas hoje em dia é utilizado em diversos sectores, e como podem compreender é extremamente pouco ética.

Alguns exemplos de Apelo ao Medo / FUD:

  • Se continuas a comer assim, vais morrer como o teu avô.
  • Se não cooperas vais perder o teu emprego e viver na pobreza.
  • Votar nele é como votar nos terroristas.
  • Se mentires, nunca mais ninguém vai acreditar em ti.
  • Temos de atacar porque eles tem armas de destruição massiva.
  • Tens que atualizar o sistema já, porque senão ficas aberto a hackers.
  • Os teus concorrentes todos têm o sistema, tens de comprar senão vais falhar.
  • Não uses Linux, porque toda a gente utiliza Windows.