Tagdivida

9 Regras para Emprestar Dinheiro

Eu já falei nisto antes com as regras de ouro dos empréstimos, mas vale sempre a pena ir dando mais dicas, se alguém pergunta se podes emprestar dinheiro, pensa antes de agir! Arranja uma desculpa universal tipo “Tenho de ver se posso, tenho a maioria do dinheiro investido” ou “Não sei, estou a fazer um fundo de emergência e isso tem prioridade”, eu sei que muitas vezes nós queremos ajudar os nossos amigos e família quando precisam, mas é importante seguir algumas regras antes de começar a emprestar dinheiro.

Nada como umas regras em quando, como e que circunstancias tens de ter em conta antes de emprestar dinheiro a quem quer que seja, lembra-te sempre que ao emprestares dinheiro tu ficas mais vulnerável e podes vir a precisar desse dinheiro mais cedo que pensas, então aqui vão 9 regras:

  1. Não podes ter Dividas – Especialmente dividas de curto prazo, tipo do cartão de credito, se estás a dever então precisas do teu dinheiro para pagar, não tens de certeza dinheiro para emprestar!
  2. Não tens o teu Fundo de Emergência – Eu sei que estou sempre a bater nesta tecla, mas vou continuar a bater, se ainda não tens um fundo de emergência para 6 a 8 meses de custos, então não tens dinheiro para emprestar!
  3. Não tens um Plano de Reforma – Se nem sequer começaste a planear a tua reforma, ou o teu plano de reforma ainda está incompleto, então qualquer dinheiro extra deve ir para ai, e não para um empréstimo.
  4. Se estás a pagar uma Renda/Hipoteca – Tem certeza que tens bastante dinheiro para pagar a tua renda/hipoteca, não te esqueças que andas a pôr dinheiro no teu fundo, na tua reforma, etc, se estás com dificuldade ou pagas a renda com um pouco de dificuldade, então não é boa altura para emprestar.
  5. Tens um Emprego Seguro? – Se tens um emprego ou tens o teu negocio, é importante saber a estabilidade e segurança do mesmo, obviamente é dai que vem a tua capacidade de gerar dinheiro, se não tens um emprego ou o teu emprego não é solido, não se deve emprestar!
  6. Tens os Seguros em Dia? – Especialmente seguros para o carro, casas e saúde, são importantes e garantem estabilidade e segurança, se não tens, então podes estar mais vulnerável se emprestares dinheiro e um imprevisto acontecer.
  7. Tens Filhos? – Todos os pais sabem não existe nada mais caro que ter filhos, e esses filhos eventualmente vão aumentar os gastos, desde coisas para a escola/eletrónica/brinquedos até quando forem mais adultos possivelmente carros, universidade ou simplesmente ajudar, se tens filhos tens de considerar seriamente se tens capacidade para emprestar dinheiro para outras pessoas.
  8. Cria uma Nota da Divida – Se vais mesmo emprestar dinheiro, cria pelo menos uma nota da divida, com os dados da divida, os juros, datas de começo e fim do empréstimo, como se fosse um banco, ambos vão assinar e com copias para ambas as partes, não que isso garante o pagamento, mas pelo menos é algo que fica por escrito e podes caso não seja pago descontar nos teus impostos como um prejuízo.
  9. Dá o Dinheiro em vez de Emprestar – Claro que muitas vezes o erro é emprestar, mais vale muitas vezes dar (ou melhor por ser dado, ser uma menor quantia), que emprestar, isso elimina as frustrações e expectativas que o empréstimo traria, especialmente numa família, e se o familiar acabar por devolver o dinheiro, ainda melhor.

Porque é que Deves Começar a Criar um Fundo de Emergência HOJE!

A grande maioria das pessoas não tem um fundo de emergência, isso é um facto! PIOR! Muita gente nem sequer sabe o que é um fundo de emergência, o que é algo perigoso, especialmente quando se tem gastos mensais que não podem ser evitados (gastos com filhos, casas, dividas!).

Criar um fundo de emergência é uma das melhores formas de se proteger contra um desastre financeiro. Basicamente é ter dinheiro á parte só para emergências ou quando qualquer coisa má acontece, tão simples quanto isso, a quantidade de dinheiro normalmente aconselhável é o suficiente para 6 a 8 meses de despesas normais (sendo a noção, que quando se começar a usar o fundo de emergência, que se corta também nos gastos, conseguindo desta maneira prolongar a utilidade do fundo mais uns meses do que seria normal).

Ok, aqui vão 5 boas razões para começares a criar um fundo de emergência hoje!

  1. Porque más coisas acontecem!  – Ah pois, é a vida, coisas más vão sempre acontecer, mas a diferença entre um problema temporário e uma catástrofe normalmente é o quanto estás preparado para o inesperado, se tiveres sorte é algo como um eletrodoméstico falhar ou o carro ter um acidente, mas muitas vezes pode ser algo muito pior e grave, e ter um fundo de emergência pode fazer toda a diferença em como atacar o problema.
  2. Não ter um fundo é abrir o caminho para a divida – Especialmente se já estás a pagar casa ou carro, acontece um problema, perderes o emprego, doença e não teres dinheiro á parte implica teres de te endividar ainda mais para conseguires cobrir o problema, o que aumenta ainda mais os teus custos mensais com múltiplas dividas, e como já disse anteriormente, só te deves endividar quando é para investir! (uma casa, um negocio, etc), e não para comprar coisas ou pagar contas!
  3. Estimula bons hábitos – Guardar dinheiro, poupar, ter uma atitude equilibrada em relação ao dinheiro faz toda a diferença, saber comprar quando se tem dinheiro para gastar, ter uma atitude inteligente e racional com o dinheiro, em vez de emocional e desequilibrada.
  4. Paz de espírito – Ter dinheiro á parte para uma emergência traz felicidade, alivia certamente o stress do desconhecido, que estás a equilibrar numa corda é completamente diferente com ou sem uma rede em baixo.
  5. Investimentos e bens não são um fundo de emergência – Por fim, só uma nota, que os bens que tens e investimentos não são um fundo de emergência, tu não podes, ou melhor não deves hipotecar os teus ganhos futuros para resolver problemas ocasionais, são duas coisas inteiramente separadas e como tal deves ver ambos de maneira diferente, um fundo de emergência deve ser liquido ou facilmente tornado em liquido, ao contrario de bens e investimentos!

5 Lições que Podemos Aprender com os Nossos Avós

Nada como experiência e mesmo normalmente as pessoas mais velhas não estão muito ligados ás novas tecnologias, existe uma vida inteira de sabedoria, e coisas como economia e finanças não mudaram assim tanto nos últimos séculos, porque não aproveitar algumas das lições que os nossos avós aprenderam (neste caso este artigo foi tirado de um Inquérito feito pela Universidade de Cornell a mais de 1200 Avôs e Avós).

Então aqui vão as 5 lições:

  1. Evitem Ficar Endividados – Só vale a pena contrair divida se for para uma casa ou para educação, para as restantes coisas, mais vale esperar para ter dinheiro antes de comprar o quer que seja.
  2. Compra Experiências e não Coisas – Está provado que as pessoas na generalidade são mais felizes com experiências (viagens, concertos, almoços) que com coisas.
  3. Pensa em Pequeno – Mesmo que coisas caras e grandes também são divertidas e algo que muitas vezes desejamos, tendem a ser as pequenas coisas aquelas que nos trazem mais felicidade, especialmente porque é preferível ter várias coisas pequenas que uma grande.
  4. Planeia Viver por 100 anos – Mesmo que a esperança de vida não são 100 anos, mais vale planear para tal e ser conservador.
  5. Não deixes o Dinheiro Controlar a tua Vida – Dinheiro tem a importância, da mesma maneira que muitas outras coisas, não podes deixar coisas como emprego ou quanto dinheiro fazes controlar a tua vida. Mais vale fazer menos dinheiro e fazer-se o que se gosta que o contrário, é só uma questão de equilíbrio.

© 2018 Empregado na Internet

Por S2RUp ↑